20 de dezembro de 2011

83 - ALEX entrevista ALAÔR BORGES

Ele nasceu em Bebedouro, São Paulo.
Erradicou-se em Uberaba, Minas Gerais.
De formação católica, em 1981 tornou-se espirita.
Ele é enfermeiro, orador espírita e também médium.
Já publicou oito obras literárias.
Fundou o Lar Espírita Irmã Valquiria.
Conhecido pelas suas psicografias e receituários mediúnicos.
Com suas "cartas consoladoras" tem confortado muitos corações.
O nosso entrevistado de hoje é Alaôr Borges Junior.

Alaôr Borges Júnior

ALEX - Olá Alaôr, tudo bem?

ALAÔR - Graças á Deus tudo bem!

ALEX - Como você conheceu o Espiritismo?

ALAÔR - Foram os conflitos oriundos do afloramento da mediunidade que nos conduziram à Doutrina Espírita.

ALEX - E como conheceu o Chico Xavier?

ALAÔR - Tivemos contato com o médium Chico Xavier na fase da juventude, quando o procuramos na esperança de colher certas orientações no campo da mediunidade de psicografia; o que de fato aconteceu, como esperávamos, da parte deste venerável discípulo do amor que refletia nas suas, as condutas de Jesus.

ALEX - E quando se começou a desenvolver essa mediunidade de psicografia, foi em Bebedouro ainda ou você já residia aqui em Uberaba?

ALAÔR - Iniciamos a nossa trajetória de modesto médium, consciente de nossas limitações mediúnicas, conduzido que fomos espontaneamente ao trabalho como médium psicofônico, e posteriormente, já no ano de 1982 é que ela aflorou. Sim já residíamos em Uberaba, já que praticamente apenas nascemos na cidade de Bebedouro.

ALEX - Achei que você havia passado certo período de sua infância em Bebedouro! E você já escreveu quantos livros?

ALAÔR - Até o presente momento temos 8 livros editados a saber: “Semeadores da Verdade”, editado pela editora espírita Paulo e Estevão de Uberaba, “Abra e Leia”, editado pela editora fonte viva de Belo Horizonte, “ A Derradeira Esperança”, “ Experiências no Mundo Espiritual”, Encontros com a Consciência”, “Mergulhos na Consciência”, “ Confrontando a Razão” e “ Sutilezas da Obsessão”, estes últimos editados pela Mytos Editora, da cidade de São Paulo SP.


ALEX - Yvone do Amaral Pereira! Como foi o seu primeiro contato com ela pós-túmulo? E quais livros por seu intermédio foram escritos por ela?

ALAÔR - Fomos alertados por nossa benfeitora espiritual de nome Irmã Valquíria, que iríamos iniciar o trabalho íntimo da tarefa de recebimento de novo livro em atividades íntimas. Porém para nossa surpresa, tratava-se de um romance. Antes porém, certa noite ao nos desdobrarmos, algo que ocorre conosco com certa raridade, a encontramos junto a determinados instrutores espirituais, e um deles, que me parecia o líder dos demais, trajando vestes orientais e de turbante, nos informou que a partir daquele momento passaríamos a fazer parte da equipe da estimada médium. A conceituada médium escreveu por nosso intermédio o livro “ A Derradeira Esperança”, e um outro que tem a sua participação, “ Sutilezas da Obsessão”.

ALEX - Quem é e quem foi a Irmã Valquiria?

Caravanas chegando no Ir.Valquiria
ALAÔR - A generosa entidade que se revela com tal nome, de porte jovem, foi possivelmente em sua última existência, uma dedicada serva de Jesus, servindo a Religião Católica, na condição de dedicada freira; já que as raras vezes em que se deixou notar pela vidência, trajava vestes que caracterizam estas nossas irmãs. Pela psicografia nos informou certa feita, que viveu na região de Minas Gerais, porém não nos deu maiores detalhes. Á título de curiosidade, ainda residindo em Bebedouro, logo ao nascer, tivemos determinadas complicações respiratórias, o que levou o médico que nos assistia, a dar a nossos pais, um prognóstico desolador: aguardar o óbito, e até recomendou que tomassem as providências de praxes nestas circunstâncias. Então nossa mãe nos conta, que o hospital em que estivemos internados na cidade de Bebedouro, era de irmãs de caridade, e que uma dedicada irmã, a qual ela não se recorda do nome, nos levava para seu quarto pessoal, nos dispensando cuidados, perdendo noites de sono, afim de nos livrar de possíveis infecções hospitalares, dado a gravidade do caso. Pessoalmente suspeito que tal ligação espiritual tenha tido seu início nesta época. Então ela é a nossa orientadora espiritual, que bem cedo, quando iniciamos as nossas atividades de médium nesta existência, surgiu, e até hoje nos acompanha.

ALEX - Fale um pouco para nós sobre como foi a fundação deste Lar Espírita que leva o seu nome e quais os trabalhos desenvolvidos?

ALAÔR - Quando nascemos, nossa mãe nos conta, que devido à característica que nosso corpo se apresentou, a parteira, lhe disse que nós seríamos um “profeta, um paranormal” e que teríamos uma bonita e árdua missão a desempenhar, palavras dela. E quando nos tornamos espíritas, sempre tivemos plena certeza de que não seríamos apenas mais um frequentador comum, mas era forte a intuição de que determinadas tarefas nos aguardavam as iniciativas. Até incomodado por tais intuições cada vez mais fortes, então com o auxílio da equipe que nos assessora, foi que resolvemos tomar as primeiras providências para fundar o Lar Espírita Irmã Valquíria, que realiza múltiplas tarefas na área social a saber: sopa fraterna, peregrinação( visitas a lares carentes), distribuição de pães e lanches semanalmente, cestas básicas mensais aos lares citados, e anualmente, próximo ao natal, confecções de enxovais para bebês, atendimento médico com fornecimento de medicamentos, cortes de cabelo, serviço de alojamento dispensado gratuitamente aos confrades espíritas, ou aos familiares que não possam arcar com despesas de hotéis, quando procuram a nossa ou outras casas espíritas, na esperança de conseguirem uma mensagem de seus entes queridos, socorro emergencial constante aos irmãos carentes de gêneros alimentícios, e atividades voltadas, para as psicografias específicas de notícias dos desencarnados, receituário mediúnico, trabalho de desobsessão privado, e reuniões de estudos doutrinários.

Alex saindo do Ir.Valquíria após reunião
ALEX - Há algum caso especial que ocorreu entre você e Chico que convém nos relatar?

ALAÔR - Após alguns anos de exercícios de psicografia, o procuramos no “Grupo Espírita da Prece”, e depois de examinar as páginas psicografadas por nosso intermédio, ele nos sugeriu que lá retornássemos com as mesmas datilografadas ou transcritas manualmente, para que ele as lesse. Ao lhe perguntar se deveria parar com os exercícios, nos disse que deveríamos continuar e apresentar os textos para as pessoas mais experientes avaliarem. Noutra circunstância, foi em um desdobramento espiritual que tivemos que fomos agraciados por um conselho, em vista de um problema pessoal que nos atormentava na juventude. Éramos invadidos por um doloroso surto de insensibilidade afetiva e completo desinteresse pela permanência no corpo físico, acompanhado de intensas angústias e cansaço mental, nos levando a tentar descobrir qual era a procedência de tal incômodo, se espiritual ou físico. No encontro fora do corpo que com ele tivemos, após lhe relatar que tais conflitos diminuíam consideravelmente com as frequências à casa espírita, ele nos disse com a serenidade que lhe era peculiar, que identificar a causa era irrelevante, mas que eu deveria enxergar neste meu problema, um grande estímulo para nunca abandonar a casa espírita, porque lá eu sabia que estaria sempre bem. E de fato estou.

ALEX - E há algum caso especial no seu trabalho de "cartas consoladoras", que convém também relatar?

Alaôr psicografando
ALAÔR - Muitos. Sem nos alongar, pedimos permissão para relatar apenas três casos. Certa feita, em determinada cidade em que fomos realizar o trabalho de psicografia, uma mãe nos relatou, que quando havia recebido a primeira notícia do filho ou filha por nosso intermédio, o pai, o marido, não acreditou na mensagem e dizia que era coisa do demônio. Então, ao nos procurar pela segunda vez, nos disse que respondeu ao marido, que iria continuar procurando o demônio porque ele havia lhe devolvido a esperança, a vontade de viver e o reencontro com o próprio filho. Noutra ocasião uma mãe após receber notícias do filho, colocou as laudas de papéis escritas de encontro ao peito, as abraçou com extremada ternura e nos falou em lágrimas: “ eu preciso disso para continuar vivendo”. Finalizando, outra mãe ao receber notícias da filha, que havia desencarnado vítima de uma tragédia familiar, enquanto líamos a mensagem, ela permaneceu em lágrimas e de joelhos no salão onde a sessão foi realizada, nos emocionando a todos.

ALEX - Jerônimo Mendonça Ribeiro, você o conheceu? Conte um caso entre vocês para nós, por favor!

ALAÔR - Sim, nós tivemos a alegria de conhecer o nosso irmão, o “gigante deitado”, como é conhecido no movimento espírita. Infelizmente tal conhecimento não foi o suficiente para nos tornarmos íntimos do querido irmão, a ponto de algo ter a relatar de nossa convivência.

ALEX - Que pena! Para finalizarmos, o que você diria para os nossos leitores que sofrem pelo desencarne de um ente querido? E chegando aqui em Uberaba, quais os dias e horários para lhe encontrar no trabalho consolador realizado nesta casa maravilhosa que tenho o prazer de conhecer, que harmonia e vibração sentimos aqui, sua simplicidade á torna riquíssima!

ALAÔR - Que compartilhem com Deus esta aflição. Que a Ele se liguem mais diante de circunstâncias tais. Que procurem preservar o equilíbrio, na certeza de que o afeto que partiu, se verá cercado de inúmeros entes queridos que o precederam na dolorosa viagem imposta pela morte do corpo, e estarão revezando nos cuidados a ele dispensado. Confiem que a misericórdia Divina, como dizia Chico, está acima da sua justiça, seja qual for o motivo que tenha ocasionado este retorno. Que procurem reagir, superar a dor, se colocando não Só na condição de expectadores de dores maiores, mas também como integrantes ativos, na resolução das aflições alheias em memória de seus afetos. Esta é a terapia que reestrutura tais sentimentos abalados. Por fim, que se levantem novamente para as responsabilidades da vida até que Deus lhes convoquem para o grande reencontro, certos de que os afetos queridos, com eles se reerguem também. As nossas atividades de recebimentos de cartas, acontecem às quintas feiras às 18:00h e aos sábados também às 18:00h, exceto quando estamos viajando com nosso grupo em tarefas em outras cidades.

ALEX - Alaôr, muito obrigado pela entrevista e que nossos Amigos Benfeitores continuem á lhe dar forças nestas suas missões consoladoras, sejam nas cartas ou nos livros. São suas as considerações finais.

ALAÔR - Ainda está vivo em nossa memória o quanto relutamos, para aceitar os convites dos benfeitores espirituais para nos iniciarmos nesta abençoada tarefa, a das cartas, que, também como Chico já disse mais nos gratifica como médium. Tem valido a pena todo o esforço, a renúncia, as críticas, as exigências alheias, os julgamento, as noites em que dormimos tarde, o cansaço das viagens, a disciplina a qual temos que nos submeter. Constatar a felicidade destes pais, enfim dos familiares, dos dois planos da vida, tem sido a nossa maior alegria. Já que nunca tivemos qualquer pretensão em escrever livros, certa feita falei a amigos mais íntimos, que Deus poderia retirar de mim, quaisquer outras disposições mediúnicas, mas me faria muito feliz, se me permitisse cada vez mais me tornar um instrumento mediúnico capacitado para esta tarefa. É o que tenho buscado, me aprimorar cada vez mais, e tentar ser um tipo de lenço para secar as lágrimas das faces de tantas mãezinhas, paizinhos, esposas, enfim que sofrem com esta separação. Antes de finalizar, agradeço aos possíveis leitores que nos lerem e ao nosso irmão que nos entrevista, e a Deus pela oportunidade que nos dá de trabalharmos em sua seara. A frase que uma médium amiga nos disse quando ainda relutávamos para se iniciar nesta trajetória, tem sido o nosso maior estímulo. Eis o que ela nos disse: “O trabalho de recebimento de cartas de familiares, para o médium, é um permanente exercício de jogar o orgulho no lixo”. E temos com muito esforço colocado o nosso lá, servindo, sobretudo, sem as preocupações de outrora. Peço humildemente aos nossos leitores que não se esqueçam de nos incluir nas suas preces.

ALEX - Para quem quiser conhecer o trabalho desenvolvido no Lar Espirita Irmã Valquiria, é só ir na Rua Arapongas, 859. Conjunto Valim de Melo II, em Uberaba. Aos domingos ás 18hs e ás terças ás 19:30hs os trabalhos de estudos doutrinários também são abertos ao público, assim como também os mediúnicos citados pelo próprio Alaôr. Aos domingos pela manhã também se pode conferir o trabalho social da sopa fraterna, onde na qual o próprio Alaôr e sua esposa também participam, ele ocorre ás 8hs. O telefone para contato é (34) 3315 -1356.

4 comentários:

Anônimo disse...

Gostaria de deixar aqui registrado meu agradecimento, a estes médium maravilhosos que nos trazem o consolo, e em especila ao medium Alor Borges pois foi através dele que encontrei minha paz, apesar de já haver recebido outras psicografias, ainda ficava uma certa duvida ou medo, não sei mas a ultima foi recebida através dele foi rica em detalhes, e posso ter a certeza de que minha vida meu filho Gustavo Henrique continua vivo e tenho a certeza que nos encontraremos novamente.Filho te amo,te amo e te amo sua, mãe Regina sempre sua.

Alex S. C. Guimarães disse...

Olá mãezinha Regina, a dor de uma mãe é sempre grande quando um filho desencarna, mas graças á Deus temos médiuns como o Alaôr para enxugar vossas lágrimas com as cartas consoladoras, que caem como lenços nas mãos e olhos das mães que semelhante á você, recebem-as por puro merecimento, tanto seu, quanto de vosso filho, parabéns pelo seu discernimento e obrigado pelo seu comentário.

Cláudio disse...

Este grande médium e amigo esteve em Cuiabá-MT realizando um maravilhoso trabalho que consolou, através de cartas por ele psicografadas, quinze corações de mães cujos filhos haviam desencarnados. Que Deus continue iluminando este irmão, para que outras mães possam ter a dor amenizada por meio da certeza da imortalidade de seus filhos, alcançada pelas cartas psicografadas pelo seu intermédio.

Regina Schaeffer Rodrigues disse...

Sou eu novamente a Regina, estive outras vezes em Uberaba, e algumas vezes fui abençoada através
do médium Alaor, e recebi a mensagem do meu amor , minha vida e minha estrela Gustavo Henrique Schaeffer Rodrigues, Que Deus o abençoe muito